Arquivo do Autor

Nada a temer, salvo o seu próprio medo…

Tudo é criado na mente antes de se tornar realidade física. O sucesso ou fracasso é precedido por vitorias ou derrotas no campo da mente. Milhares de pessoas recorrem aos cursos de graduação, pós-graduação, mestrado, doutorado e até pós-doutorado, em busca de conhecimento técnico, na ânsia de alcançar o sucesso na carreira e na vida. Porém, apesar dos esforços, muitas acabam derrotadas pelas suas atitudes. E, quais são estas atitudes que levam tantas pessoas para o endereço errado? Podemos destacar como mais evidentes, a falta de autoconfiança, a falta de disciplina, a ausência de iniciativa, a inexistência de foco, o pessimismo e o hábito infantil de procurar culpados e o de se queixar de tudo e de todos. Lembre-se que as pessoas que vivem reclamando, condenando e se queixando se tornam “imãs de coisas ruins.”

Milhares de pessoas assemelham-se a ilhas de pobreza, cercadas de riquezas por todos os lados. O maior desafio não é domínio de novas tecnologias, mas sim o controle da mente. Vivemos em um universo abundante e cheio de oportunidades. Entretanto, somos criaturas de hábitos, e esses como carcereiros, são capazes de nos manter aprisionados em nossas zonas de conforto. Isso é claro, se contra eles não nos rebelarmos, certos de que precisamos, queremos e podemos assumir o comando de nosso destino e mudar sejam quais forem os nossos comportamentos e atitudes, a partir de nossa força de vontade.

O caminho do sucesso tem por base o conhecimento, as habilidades e as atitudes. Não existem atalhos em direção ao topo das grandes realizações materiais e espirituais. É preciso saber, saber fazer, querer fazer e acima de tudo entrar em ação para fazer acontecer. Sem ação, o cérebro não passa de um cemitério de boas intenções. Somente conhecimentos colocados em prática geram habilidades e consequentes resultados.

A história é farta de personagens que desafiaram as circunstâncias e venceram, quando tudo em sua volta parecia provar o contrário. A única coisa capaz de nos deter somos nós mesmos. Roosevelt, ex- Presidente dos Estados Unidos, disse certa vez que: “não há nada a temer a não ser o próprio medo”. Já o seu antidoto, a autoconfiança, é a característica encontrada nas pessoas de sucesso.

Nossas qualidades como povo pacífico, alegre e com jogo de cintura, são reconhecidas internacionalmente. No entanto, pesa contra nós o insatisfatório rótulo de um povo com baixa autoestima. Precisamos aprender a confiar em nós mesmos. Como o pequeno pastor de ovelhas Davi, da história Bíblica, quando foi enfrentar o gigante Golias, devemos nos deter mais em nossas virtudes e realizações, do que em nossas deficiências, certos de que em tudo em que concentramos nossa atenção aumenta. Quando reconhecemos as nossas qualidades nos aproximamos de nós, já quando nos criticamos, nos afastamos de nós mesmo.

Pensamentos de vitória, de conquistas, lembranças de elogios recebidos, fortalecem a musculatura da nossa autoconfiança para enfrentar os tropeços da vida. Sabedores de que em nossas cabeças há um permanente turbilhão mental de pensamentos, devemos optar pelos que são positivos e que elevam o nosso astral e a fé em nós mesmos. Afinal, estamos lutando a favor ou contra nós mesmos?

Vivemos em um tempo e em um país de grandes oportunidades. Os nossos resultados crescem, na medida em que nós crescemos. Se não estamos satisfeitos com os frutos que estamos colhendo é importante descobrir quais são as nossas crenças limitadoras. A realidade é criada primeiro nos pensamentos, que por sua vez alimentam os nossos sentimentos, que nos levam a paralisia ou a ação, gerando consequentemente os resultados.

 

 

Sem Comentários mais...

Indenização do seguro é paga ao proprietário do carro ou segurado?

Dúvidas frequentes…

O carro está no nome de uma pessoa e o seguro em nome de outra. Quem recebe a indenização integral? Confira resposta!

É comum o seguro ser feito nome de uma pessoa diferente do proprietário que consta no documento do veículo. Isso pode ser feito normalmente, pois não há exigência de proprietário, segurado e principal condutor serem a mesma pessoa.

Contudo, muita gente fica na dúvida: em caso de indenização integral, quem receberá? Neste post responderemos esta questão e daremos algumas dicas.

                  Proprietário é quem recebe indenização integral do seguro

A indenização do seguro de automóvel é paga ao proprietário que consta no CRLV e CRV do veículo. Como o certificado de propriedade está em nome dele, juridicamente é ele quem tem direito à indenização do seguro em caso de perda total ou roubo/furto sem recuperação.

Um exemplo:

Nosso visitante Luciano nos enviou a seguinte dúvida:

“O SEGURO ESTÁ EM NOME DE MINHA ESPOSA, MAS COMPREI O CARRO DELA. FIZEMOS ENDOSSO NA APÓLICE COLOCANDO EU COMO PROPRIETÁRIO E PRINCIPAL CONDUTOR. EM CASO DE SINISTRO, ELA RECEBE PORQUE É A SEGURADA OU EU COMO PROPRIETÁRIO?”

No caso do sr. Luciano, quem receberá a indenização será o próprio Luciano, pois atualmente o carro está no nome dele. Se ele não tivesse transferido o carro do nome da esposa para o dele, quem receberia a indenização seria a esposa dele.

Veja que o seguro pôde continuar no nome da esposa dele mesmo após o documento do veículo ser transferido para ele.

 Mas para que serve o “segurado” então?

O segurado é a pessoa — física ou jurídica — que contrata o seguro em benefício pessoal ou de terceiros. Por conta disso uma pessoa pode fazer um seguro em seu nome (sendo o “segurado”) mesmo o veículo estando em nome de um terceiro, como por exemplo:

  • Carro em nome do pai, seguro em nome do filho: Isto é comum quando o pai deixa um carro para o filho usar, e delega ao filho cuidar do seguro.
  • Carro em nome da esposa, seguro em nome do marido (ou vice-versa):Há diversos casais que dividem as tarefas no dia a dia e por conta disso preferem centralizar em apenas um deles cuidar dos seguros dos veículos (e outros bens da família).
  • Carro em nome do sócio, seguro em nome da empresa: Este caso é especialmente comum nos casos de seguros de frotas veiculares. Como a taxação do preço do seguro em frotas é mais em conta, o sócio da empresa pode optar por colocar o carro na frota de modo que o seguro fica em nome da empresa.

Estes são apenas alguns dos exemplos de porque existe a possibilidade de o proprietário e segurado serem pessoas diferentes.

Vale ressaltar que todos os benefícios do seguro como pontuação em programas de fidelidade, bônus na renovação do seguro etc. ficarão vinculados ao nome do segurado.

E se eu quiser transferir o seguro para o nome do proprietário?

A grande maioria das seguradoras permite a transferência de titularidade do seguro somente entre cônjuges, pais e filhos, e empresas e sócios.

Não sou proprietário mas quero receber a indenização

A indenização integral sempre é paga ao proprietário que consta no documento. Porém se você não é proprietário e ele está de acordo em você receber a indenização no lugar dele, a recomendação é informar a seguradora. Será necessário aguardar a análise da seguradora, que no geral aceita este procedimento mediante apresentação de carta do proprietário autorizando o pagamento à outra pessoa.

Para maiores detalhes sobre este procedimento recomendamos solicitar ao corretor que está cuidando de seu sinistro para solicitar à seguradora os documentos necessários.

Aqui na nossa corretora contamos com excelente equipe de vendas, a qual poderá lhe orientar sobre detalhes como este do post! Além disso também contamos com pessoal espacializado para lhe atender em eventuais sinistros, lhe garantindo conforto e tranquilidade.

 

por Jessica\ Muquirana Corretora de Seguros

Sem Comentários mais...

Seguro DPVAT, saiba quem tem direito e como acionar

O Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre, mais conhecido como Seguro DPVAT, existe desde 1974. É um seguro de caráter social que indeniza vítimas de acidentes de trânsito, sem apuração de culpa, seja motorista, passageiro ou pedestre. O DPVAT oferece coberturas para três naturezas de danos: morte, invalidez permanente e reembolso de despesas médicas e hospitalares (DAMS).

A atual responsável pela administração do Seguro DPVAT é a Seguradora Líder-DPVAT, que tem o objetivo de assegurar à população, em todo o território nacional, o acesso aos benefícios do Seguro DPVAT. O diretor presidente da Seguradora Líder-DPVAT, Ricardo Xavier, explica que o procedimento para o recebimento do seguro pelas vítimas de trânsito é simples e alerta para o fato de que não é necessário intermediário para dar entrada no pedido de indenização.

O pagamento da indenização é feito em conta corrente ou poupança da vítima ou de seus beneficiários, em até 30 dias após a apresentação da documentação necessária. O valor da indenização é de R$ 13.500 no caso de morte e de até R$ 13.500 nos casos de invalidez permanente, variando conforme o grau da invalidez, e de até R$ 2.700 em reembolso de despesas médicas e hospitalares comprovadas. O prazo para solicitar a indenização por Morte ou Reembolso de Despesas Medicas e Hospitalares é de 3 anos a contar da data do acidente. No caso de indenização por Invalidez Permanente este prazo é de 3 anos a contar da ciência da Invalidez Permanente pela vítima.

Qualquer pessoa vítima de um acidente com veículo terrestre no Brasil pode ter direito à indenização, inclusive sendo pedestre, acionando o DPVAT.

DPVAT é um seguro de responsabilidade civil pago obrigatoriamente por todos os proprietários de veículos terrestres, juntamente com o IPVA. Ele cobre Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (incluindo motocicletas), isto é, garante indenizações às vítimas de acidentes de trânsito.

As indenizações são obtidas em três circunstâncias: morte; invalidez permanente; e em casos de acidentes que tenham gerado despesas médicas e hospitalares.

Qualquer pessoa vítima de um acidente com veículos terrestres pode pedir a indenização, mesmo que ela nunca tenha tido um carro e pago o DPVAT, ou seja, vale para pedestres também. O pedido pode ser feito em até três anos a contar da data do acidente.

A cobertura vale para pessoas atingidas por carros (ou outros veículos), bem como pela sua carga (caminhões que transportam cargas, carros com reboques etc), sejam as vítimas pedestre, ou a bordo do veículo (motorista, passageiro, carona, passageiro de táxi, lotação ou ônibus). A única pessoa que não pode requerer a indenização é a pessoa causadora do acidente já que o seguro cobre apenas terceiros (vítimas).

Os valores das indenizações são de: R$ 13.500,00 para morte, até R$ 13.500,00 para invalidez e até R$ 2.700,00 para despesas médico-hospitalares, sendo que nestas duas últimas situações o valor varia de acordo com o caso.

Ainda que a quantia possa ser irrisória perto da gravidade de uma morte, ou de um acidente que tenha tornado sua vítima inválida, profissionais do setor avaliam que a indenização é justa diante da taxa paga pelos proprietários de veículos, de R$ 105,65 no caso de automóveis.

Com a falta de informação sobre a existência e o funcionamento do DPVAT, alguns aproveitadores oferecem “auxílio” a vítimas no requerimento da indenização e embolsam parte do valor que deveria ser recebido integralmente pela pessoa indenizada.

Existem empresas especializadas que se oferecerem para solicitar o DPVAT, realizar o funeral da vítima gastando 2 mil reais, e acabem ficando com o restante, os 11 mil reais. Muitas empresas que fazem esse tipo de serviço têm convênio com funerária e funcionários de hospitais. Então cuidado, se alguma empresa lhe oferecer esse tipo de serviço, desconfie e veja com a seguradora líder se ela é cadastrada e se não tem reclamações.

Você não precisa contratar terceiros para dar entrada no pedido de indenização do Seguro DPVAT. Este é um procedimento gratuito. Pagar pela ajuda de terceiros é deixar de receber uma parte da indenização cujo valor integral é um direito seu. Consulte a lista de documentos neste site e entregue-a no ponto de atendimento DPVAT mais próximo de você. Para isso, lembre-se: você também conta com as agências dos Correios. E não se iluda. Quem diz que é complicado pedir a indenização do DPVAT pode estar enganado ou enganando você. Faça tudo você mesmo e, em caso de dúvida, conte com o consultor especializado da Seguradora, mandando uma mensagem para ele pelo site da Seguradora Líder.​​

Onde pedir a indenização:

A Seguradora Líder é a responsável pelo DPVAT no Brasil, e conta com sete mil postos autorizados, sem necessidade de auxílio de qualquer intermediário, podendo a própria pessoa ou familiar solicitar.

Os pontos de atendimento podem ser os escritórios das seguradoras conveniadas e de parceiros, como os sindicatos de corretores de seguros, confira no site da Seguradora Líder os escritórios conveniados:

Lista dos posto de atendimento

As seguradoras que prestam o serviço são aquelas que fazem parte dos dois consórcios que foram criados para administrar o DPVAT e que deram origem à Seguradora Líder, que administra os consórcios.

Como solicitar:

A indenização deve ser solicitada pela própria vítima no caso de invalidez permanente e despesas médico-hospitalares e pelos herdeiros legais no caso de morte.

Para obter a indenização, o solicitante deve apenas comparecer a um posto autorizado e levar os documentos solicitados. A lista varia de acordo com o tipo de dano e pode ser consultada no site do DPVAT.

Aqui informações para o caso de acidentes com despesas médicas:

Aqui informações para o caso de acidentes com invalidez permanente:

Aqui informações para o caso de acidentes com morte:

Caso a indenização não seja suficiente para cobrir as despesas médicas e os danos causados, ou não seja aprovada a indenização do DPVAT, a vítima poderá ingressar com ação judicial.

Fontes:

Exame

Seguradora Líder

Sem Comentários mais...

Seguro automóvel em nome de uma pessoa e proprietário outro…

O seguro de automóvel pode estar em nome de outra pessoa que não seja o proprietário do veículo?

Muitas pessoas ficam na dúvida se o seguro de automóvel pode ser feito no nome de outra pessoa, diferente daquela que é proprietária do veículo ou daquele que costuma dirigir o carro. Agora você poderá entender um pouco melhor você entender melhor.  

Um assunto muito importante para você garantir a cobertura do seu seguro, sem imprevistos …“Segurado”, “Proprietário” e “Condutor Principal” podem ser diferentes no no contrato do seguro.

No seguro existe a figura do “segurado”, do “proprietário do veículo” e do “condutor principal”. Pode ocorrer dessas três figuras não serem a mesma pessoa, e nesses casos a aceitação do seguro dependerá da regra de cada seguradora:

  • seguradoé a pessoa em nome de quem está o contrato do seguro, ou seja, é a pessoa que está contratando os serviços da seguradora para proteção de seu próprio carro ou do carro de um terceiro (filho, cônjuge etc.).
  • proprietário do veículo é o dono do veículo, ou seja, em nome de quem está a posse/documento (CRV) do carro.
  • Já o principal condutoré a pessoa que dirige o carro na maior parte do tempo, e por isso o seu perfil (por exemplo faixa etária, sexo etc.) ajudará a determinar o risco e precificar o seguro.

A aceitação ou não do seguro nas situações em que há diferença entre segurado, proprietário ou principal condutor depende de cada seguradora, pois elas tem regras diferentes.

-Veja alguns exemplos de diferentes regras de aceitação nas seguradoras:

  1. Algumas seguradoras aceitam que essas três “figuras” não sejam a mesma pessoa, podendo ou não ter determinado grau de parentesco.
  2. Outras seguradoras aceitam somente se o segurado for o mesmo que o proprietário.

A regra nº 1 é a mais comum e, a meu ver, mais coerente. A segunda regra é mais incomum e aos poucos vem sendo abandonada pelo mercado.

Não costuma haver restrição com relação ao principal condutor ser diferente do segurado e/ou proprietário.

                    *Peça instrução a um corretor de seguros especializado

Se você se enquadra em algum desses casos específicos é importante procurar a consultoria de uma corretora de seguros especializada como da Muquirana Seguros Online para saber quais seguradoras melhor atendem sua necessidade de enquadramento no seguro. Saberemos lhe informar qual seguradora tem aceitação para seu caso e encontrar ótimas opções de preço dentro dessas possibilidades.

**Sempre contrate o seguro especificando corretamente segurado, proprietário e principal condutor

É importantíssimo especificar corretamente no seguro, quem é o real proprietário e o real principal condutor do veículo. A veracidade dessas informações garantem sua indenização num caso de sinistro.

Algumas pessoas tentam baratear o preço do seguro colocando um “principal condutor” de menor risco, quando na verdade a pessoa que dirigi a maior parte do tempo é outra, de maior risco. Nesse caso, haverá comprometimento da cobertura do seguro.

por Jessica –Seguro AutomóvelSeguros| Muquirana Corretora de Seguros

Sem Comentários mais...

Apenas 11% dos acidentes de trânsito são causados por mulheres

No ranking do sinistros de automóveis, homens estão muito a frente

ComparaOnline aponta que o seguro auto pode custar até 15% menos às motoristas

Na hora de contratar um seguro auto, muitos fatores podem influenciar o valor, e um deles é o gênero. O serviço para mulheres pode custar até 15% menos do que para homens. Isso é o que aponta levantamento realizado pela ComparaOnline, marketplace de comparação de seguros e produtos financeiros.

Para se ter uma noção do cenário, um seguro auto para uma mulher de 35 anos de São Paulo pode custar R$ 1.924. Enquanto isso, para um homem no mesmo perfil, o preço sobe para R$ 2.126, um valor 9,5% mais alto. Já em Belo Horizonte, a variação é ainda maior: enquanto uma mulher pode desembolsar R$ 2.536, para um homem o valor sobe para R$ 3.002, um crescimento de 15,52%.

Motivos pelo seguro auto ser mais barato

Segundo Paulo Marchetti, CEO da Compara Online no Brasil, o motivo é simples. “As mulheres são conhecidas, em sua maioria, por serem mais cautelosas na direção. Além disso, respeitam mais as leis e, por isso, as seguradoras cobram um valor mais baixo. Internamente também temos essa percepção. Em 2017, das solicitações para acionar o seguro recebidas pela Compara Online, apenas 30% foram feitas por mulheres”, explica.

O fato é comprovado pelas estatísticas: o relatório Mulheres no Trânsito, da Seguradora Líder-DPVAT, aponta que as mulheres responderam por apenas 25% das indenizações pagas por acidentes em 2015, contra 75% dos homens. Enquanto isso, de acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), apenas 11% dos acidentes de trânsito são causados por mulheres

Revista Seguro Total 06-03-2018

Sem Comentários mais...

Segurador e Corretor alinhados na mesma direção…

segures3-1Para corresponder expectativa do segurado, segurador e corretor devem se alinhar na mesma direção.
Nas três décadas que estive na direção de uma das corretoras de seguros de maior expressão no Distrito Federal, pude constatar que em se tratando do atendimento ao cliente, um dos principais obstáculos para o corretor corresponder à expectativa do segurado, é a morosidade nas respostas e até mesmo, a postura omissa de algumas companhias seguradoras.

Muitos corretores se empenham para prestar o melhor e mais ágil atendimento, no entanto, o desdobramento das questões quase que na totalidade dos casos depende das respostas das companhias seguradoras. Procedimentos operacionais como, aceitação do risco, emissão da apólice, indenizações, autorização para reparos no veículo sinistrado, são incumbência da seguradora. O corretor de seguros que não esteja “alinhado” com a seguradora a fim de primar pelos interesses do seu cliente, não consegue agilizar ou resolver os casos mais complexos. Consequentemente, não raro alguns segurados esperam por soluções que se estende por meses, até a resposta definitiva do segurador… e tem caso que a solução não é apresentada, acabando no judiciário.

É obvio que temos muitas seguradoras que primam pela eficiência e velocidade no atendimento do pós venda do seguro, facilitando assim o trabalho do corretor… Embora aja significante concorrência no setor, ainda existem “máquinas engessadas” na gestão de muitas companhias seguradoras impactando diretamente no atendimento que o corretor deve prestar ao segurado.

As companhias seguradoras no Brasil, disponibilizam produtos e serviços de altíssima qualidade, não deixando nada a desejar, comparado a qualquer mercado segurador dos países do primeiro mundo.

Nesse cenário o corretor (a) de seguros, exerce papel fundamental contribuindo para agilizar os procedimentos e cobrar da seguradora a solução mais adequada. Por isso o corretor deve acompanhar atentamente cada operação e interagir plenamente com o segurador. No entanto, é necessário que o corretor mantenha com a seguradora uma relação de verdadeira “cumplicidade”, e vice versa!.

A boa relação entre segurador e corretor beneficia diretamente o cliente final, o segurado, especialmente nas questões mais complexas.

Comprometimento com agilidade e eficiência, são fatores essenciais para toda modalidade de prestação de serviço. É preciso que as partes envolvidas interajam em prol de um único objetivo, dedicar ao usuário do seguro atendimento humanizado e, no tempo hábil.

Sem Comentários mais...

Valor da indenização por perda total do veículo…

Seguro do carro, você pode optar pelo valor da indenizaçãosize_960_16_9_carro-dinheiro

Modalidade “valor de mercado referenciado” 

Para efeito da indenização; quando o acidente (sinistro) resultar em indenização integral do veículo segurado, o que chamamos de perda total, normalmente as companhias seguradoras consultam a tabela de avaliação de veículos, chamada “tabela de referência”.

Nesse caso as companhias utilizam a tabela “FIPE”, da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas. Entretanto, para usufruir dessa modalidade de indenização é necessário que você tenha feito opção pela mesma no ato da contratação do seguro. Você ainda pode optar por um “fator de ajuste”, percentual que será acrescido sobre o valor encontrado na tabela de referência.

O objetivo desse recurso é ajustar o valor da tabela ao valor de mercado real do seu veículo, isto, consideradas suas características particulares, como estado de conservação, opcionais e diferenças regionais:

Por exemplo, na tabela FIPE o seu carro vale R$ 30 mil, mas devido ao estado de conservação em que se encontra, você deseja contratar o seguro em R$ 32 mil. O fator de ajuste terá sido de 110%.

Caso você tenha feito o seguro do carro zero quilômetro, por valor de mercado referenciado, e na eventualidade de sinistro de perda total, durante o período de 90 dias depois da contratação do seguro, a indenização será igual à da cotação de um modelo zero quilômetro idêntico. Tem companhia seguradora que disponibiliza esse benefício por ate um ano. A partir desse período, a cotação utilizada será a de um veículo usado, do ano e modelo do carro segurado.

Modalidade “valor determinado”:

No caso de uma indenização de perda total, o valor determinado garante a indenização de uma quantia fixa, estipulada no contrato. Essa modalidade de contratação é aceita com restrições pela maioria das seguradoras. Normalmente o segurador fixa na apólice do seguro, limites mínimos e máximos para a escolha do valor segurado. Converse com o seu corretor, ele pode esclarecer o assunto mais detalhadamente.

Sem Comentários mais...

O importante é não deixar o carro sem cobertura do seguro…

direito-oab-concursos-assalto-carro-armaSeguro parcial contra roubo: como funciona e vantagens – http://www.seguroebastidores.com/

Quer proteger o seu carro, mas não pode investir em um seguro com todas as coberturas?

Se você está pesquisando e não encontra um plano de seguro automóvel que ofereça proteção essencial para o seu veículo e custo muito baixo, conheça o seguro parcial contra roubo.

Com o seguro parcial, você não precisa ficar preocupado com as altas taxas de roubos e furtos que ocorrem na sua cidade. Isso porque ele oferece proteção ao seu bolso e seu carro.

Diferente do plano completo, você paga bem menos e fica tranquilo. Saiba mais!

Como funciona o seguro parcial contra roubo e furto

O seguro parcial contra roubo e furto é mais uma alternativa para quem não pode pagar o seguro total. Além do valor do prêmio ser mais reduzido, essa forma de contratação oferece outras vantagens também, um seguro barato e muitos não sabem como funciona. O seguro de carro convencional e completo disponibiliza coberturas mais abrangentes, além de roubo e furto. Entre elas; colisão, incêndio, acidente pessoal, assistência 24 horas outras.

Embora o seguro parcial roubo ou furto contenha coberturas seja mais restrita, essa modalidade tem grande aceitação pelo usuário do seguro com menor poder econômico.

São várias as seguradoras que oferecem o seguro parcial contra roubo.

Vantagens que o seguro parcial contra roubo oferece

Analise o que o seguro parcial contra roubo oferece. Entre elas:

  1. Não possui análise de perfil

Você não precisa enviar informações detalhadas sobre você e seu veículo, já que isso não influenciará no valor.

  1. O valor agrada

O seguro parcial oferece cobertura para seu veículo, com custo menor. Você pode encontrar opções que podem custar metade do valor de um plano convencional.

  1. Não existe mudança de valor para cada faixa etária

Por não ter análise de perfil, o seguro parcial não é calculado com base na sua idade. Então, não importa se você tem 18 ou 50 anos, o valor será o mesmo para todos os motoristas.

  1. Aceita carros bem mais usado

Diferente dos planos comuns, o seguro parcial contra roubo aceita veículos mais velhos, já que não há cobertura contra acidentes. Isto porque a seguradora não precisa repor peças no caso de sinistro, sem considerar que nem todas as seguradoras fazem seguro para carros antigos.

  1. Possui assistência 24 horas

Além de contar com as coberturas contra roubo e furto, você ainda conta com assistência 24 horas. Entre os benefícios, você encontra: guincho, chaveiro, troca de pneus, SOS mecânico, guarda de veículos e auxílio pane seca. Consulte a seguradora.

Então, você acha que o seguro parcial contra roubo e furto compensa? É o que você estava procurando? Conte para nós!

Por: Andréia Silveira, colaboradora do site SegurodeAutomóvel.org.

Sem Comentários mais...

Seguradora deixa corretor e segurados “a ver navios”

img263 (2)Ocupar posição de destaque como corretor de seguros,  exige do profissional, competência, eficiência, ousadia, coragem, compromisso, transparência e lealdade aos segurados e seus parceiros seguradores. Nesse sentido, por 30 anos na gestão da Taurus Corretora de seguros, com a sensibilidade da mulher, observei  e dediquei especial atenção aquilo que as pessoas falavam, para buscar amparo e assegurar a solução que iria suprir reais anseios. Nunca medimos esforços para atender satisfatoriamente os clientes segurados, nos empenhamos com total dedicação, fatores que sempre fizeram significante diferença.

 Um exemplo da fidelidade e comprometimento com os segurados e o setor de seguros; por intermédio da Corretora Taurus, no Distrito Federal; chegamos a  honrar compromisso da seguradora coplavem, usando recursos próprios, providenciamos cobertura para cerca de 3.000 eu disse, três mil apólices alocadas na SEGURADORA COPLAVEM , que na época abrira falênciaA seguradora coplavem deixou os automóveis de milhares de segurados, em Goiânia e Distrito Federal desprovido de cobertura securitária. Na época a corretora também honrou dividas da seguradora COPLAVEM, contraídas com cerca de 20 eu disse vinte oficinas mecânicas, que haviam reparado danos em veículos “segurados” na companhia, por intermédio da Taurus Corretora.

Foram anos de transtornos e busca na justiça por acordo, para que a corretora fosse ressarcida ( parcialmente) dos prejuízos causados pela insolvência da seguradora, que ate onde sei, ate hoje não fora liquidada.  Há época o fato foi registrado e noticiado pela Gazeta Mercantil de 17/07/1995 .

Não basta querer, e preciso ter paixão e muita coragem para enfrentar tais desafios… Você pode estar pensando, isto ocorreu há muitos anos!, entretanto segue o alerta para você consumidor e você corretor de seguros; atualmente ainda ocorrem situações semelhantes, não raro uma companhia de seguros se torna insolvente,  deixando corretores, usuários e prestadores de serviços “a ver navios”. Corretor, trabalhe sempre com seguradoras sólidas e tradicionais, pesquise sobre isto.

 

 

Sem Comentários mais...

Fraude na emissão do DPVAT faz motoristas pagarem seguro para golpistas

228_not_NqiVNEmpresa responsável pelo seguro obrigatório emite alerta sobre vírus que altera código de pagamento e envia dinheiro para criminosos

Os motoristas devem ficar atentos na hora de pagar o DPVAT para não correr o risco de estar dando dinheiro para golpistas. Responsável pela administração do seguro obrigatório, a Seguradora Líder emitiu um alerta informando que um vírus no sistema pode alterar os códigos durante a emissão dos boletos, fazendo com que o valor pago seja direcionado para a conta de criminosos.

O alerta é exibido quando o motorista tenta emitir a guia de pagamento. Na mensagem exibida, a seguradora informa sobre a ação do vírus e indica como é possível identificar um boleto autêntico de um que já foi fraudado. Segundo a empresa, alguns números no código são padronizados e devem constar em todos os boletos.

Os três primeiros dígitos do primeiro grupo numérico, por exemplo, deve ser 866. No segundo grupo, a partir da quinta posição, devem aparecer os dígitos 0924860 e o terceiro conjunto deve começar com o número 8. Isso garante que o pagamento vai ser feito para a empresa e o débito do DPVAT vai ser quitado.

Caso a guia emitida tenha dígitos diferentes do indicado pela seguradora, os motoristas devem refazer o processo. Caso tenham problemas, podem entrar em contato com a companhia pelo telefone 0800-701-3427.

Fonte Gazeta do povo -11/01/2018

 

 

Sem Comentários mais...

  • Desabafe aqui

  • Ultimas Atualizações

    Abril 2018
    S T Q Q S S D
    « mar    
     1
    2345678
    9101112131415
    16171819202122
    23242526272829
    30  
  • Cadastre-se e faça seu comentário

  • Arquivos

    Copyright 2011 ® Todos os direitos reservados. Desenvolvido por calorsvz.com